segunda-feira, 11 de abril de 2011

Gap declamatório

Em minha última poesia comi um verso
O calor alcoólico o absorveu
E projetou no olhar
A sede de encontrá-lo

Filha da puta
É uma forma de elogio
No contexto da certeza
Que só vale para o momento

Papagaios arrotam a necessidade
Relatividade que Einstein
Compreendeu

O ensaio acabou no improviso
E a escrita na busca
Da palavra que se perdeu

Escrito no "Bar do Escritor" na madrugada de 10/04/2011

2 comentários:

Anônimo disse...

partie sumariamente escolhesse concentrando combatida look semas existiu existir rocco

Amanda Lemos disse...

Gostei bastante do Blog.
Muito interessante !

É bom ver a cada dia que passa mais originalidade nessa "blogosfera". :)

Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir..;
http://bolgdoano.blogspot.com/

Muito Obrigada, desde já !