quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Conceituado

Do Ser surge a idéia do Ser
Conceito auto-originado
Perdeu-se no achar-se
Dividiu as vontades

Existência dual
Paradoxo material
Bem ou mal
Apocalipse racional

A matéria é enfeite
Que busca superioridade a si mesma
Num auto-alimentar, auto-inventar
Auto-amedrontar de não-Ser

Na matéria o belo é relativo
A distância, o tempo, a moda, são relativos
A matéria não sabe o que é matéria
O Ser relativo...

5 comentários:

Clarinhaaa disse...

E já dizia o grande Mestre: "Ser ou não Ser. Eis a questão".


beijos

Gabriele Fidalgo disse...

Eu acho que você definiu muito bem com: 'A matéria é enfeite'. É mesmo, apenas, o medo de 'não ser'!

gostei muito!

beijos

Bráulio Barros de Oliveira disse...

bom demais!
anda lendo o bhagavad gita é?

Anônimo disse...

"Do Ser surge a idéia do Ser
Conceito auto-originado
Perdeu-se no achar-se"
caraca, de onde vc tira isso!
estes versos sao quase o axioma da metafisica moderna!! du caralho

cezar S.
anonimo

Gaby. disse...

E como a gente se perde no tentar se achar.

Ta divino o poema adorei.

Grande beijo.